Advento

Tempo de espera e esperança, de atenção e vigilância, de alegre chegada e amorosa acolhida. Esperar uma pessoa querida requer alegre e cuidadosa preparação, como uma noiva que se enfeita para a chegada de seu amado. E, hoje, esperar a chegada do Senhor é aguçar nossa sensibilidade para captar os inúmeros sinais da manifestação de Deus em nosso tempo, ainda tão conturbado, e em nossa realidade humana, ainda tão desumana, contraditória e sofrida; é intensificar nosso desejo de felicidade plena, de relações fraternas,. verdadeiras e duradouras, de justiça e paz; é afirmar profeticamente a esperança, superando todo pessimismo e desencanto que nos possam abater; é apressar, com nosso empenho corajoso e diário, a chegada do reino, abrindo-nos e nos entregando mais ao projeto de vida e de libertação para todos, o
sonho da Terra Prometida. .
Nas duas primeiras semanas do Advento, vigilantes e alertas, esperamos a vinda definitiva e gloriosa do Cristo Salvador, e nas duas últimas, lembrando a espera dos profetas e de Maria, preparamos mais especialmente o seu nascimento em Belém,
Toda celebração cristã é uma permanente vinda do Senhor em nossa vida pessoal, em nossa comunidade e em nossa história. Neste tempo que antecede o Natal, somos especialmente convidados a experimentar 8' proclamar profeticamente que o Senhor está chegando como libertador. E seus sinais se manifestam nos gestos concretos a favor da vida, principalmente dos pobres e pequenos. Ele vem ao nosso encontro no presente futuro, como veio no passado. Ele é caminheiro fiel na grande peregrinação que
fazemos à casa do Pai. Ele é o Emanuel, o Deus-conosco com quem. descobrimos sempre de novo quem somos, o que queremos e para onde vamos.

Fonte: Informativo Paróquia Sto. Antonio Arq. Maringá Dez/2005

Voltar